MAS

Início Internacional

Internacional

Turquia: A primeira semana de rebelião termina...

Turquia: A primeira semana de rebelião termina...

Declaração do movimento RED [1]

1. Esta rebelião é exemplo único na história da Turquia. O aparelho opressivo do Estado ficou impontente perante milhões que se revoltaram. O povo entendeu o que é que consegue fazer quando está unido. Abriu-se uma nova era para a Turquia daqui em diante.

Ler mais...

Deter a catástrofe social: lutar por uma Europa dos trabalhadores e dos povos

Deter a catástrofe social: lutar por uma Europa dos trabalhadores e dos povos

Resposta ao manifesto “O que fazer com a dívida e o euro?”

Acaba de ser publicado o manifesto O que fazer com a dívida e o euro? (1), “impulsionado por uma série de economistas da esquerda”, entre os quais se destaca Francisco Louçã, ex-deputado do Bloco de Esquerda de Portugal e membro do Comité Internacional-IV (antigo Secretariado Unificado), junto com Catherine Samary e Michel Husson, da França, e o espanhol Daniel Albarracín. O manifesto é apresentado pela esquerda alternativa como a proposta estratégica para enfrentar a crise da dívida, que tem condenado os países periféricos da Europa à catástrofe social e destruído a sua soberania.

Ler mais...

Turquia vive clima de guerra civil

Turquia vive clima de guerra civilSolidariedade ao povo turco: repressão faz explodir convulsão social, e já se fala em Primavera Turca

Uma manifestação pacífica em Istambul, na última segunda-feira, 27, transformou-se numa convulsão social contra o governo turco. As manifestações já tomaram proporções nacionais, com focos principais em Istambul e na capital, Ankara. Manifestações de apoio acontecem também em outras cidades, como Izmir, Adana e Bursa.

Ler mais...

Protesto no concerto dos Jerusalem Quartet

Protesto no concerto dos Jerusalem QuartetNa passada quarta-feira, dia 22 de maio, ativistas pró-palestinianos, organizados pelo Comité de Solidariedade com a Palestina, interromperam o concerto do Jerusalem Quartet, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Após alguns minutos de música clássica, um grupo de cerca de dez pessoas gritou as palavras de ordem “Palestina Vencerá!” e “Free Palestine!” (Palestina Livre!), ostentando bandeiras da Palestina e lançando panfletos informativos sobre a plateia.

Ler mais...

Rodear a Revolução Síria com solidariedade activa!

Rodear a Revolução Síria com solidariedade activa!

Declaração da Liga Internacional dos Trabalhadores - IV Internacional

Ler mais...

O preço do lucro em Bangladesh

O preço do lucro em Bangladesh

São mais de 1000 os trabalhadores, em sua maioria mulheres, mortos em consequência da derrocada do edifício Rana Plaza, a 24 de abril, em Bangladesh. No texto que reproduzimos a seguir, escrito por New Wave (Bolshevik-Leninista), fica clara a responsabilidade das grandes multinacionais do vestuário no verdadeiro assassinato desses homens e mulheres.

Ler mais...

1º de Maio: Unificar as lutas e construir uma alternativa operária contra os ataques do capital e dos governos!

1º de Maio: Unificar as lutas e construir uma alternativa operária contra os ataques do capital e dos governos!A classe trabalhadora e os povos do mundo enfrentam e resistem aos duros ataques que o capitalismo imperialista, através de seus governos e das burocracias sindicais, lançam contra os seus direitos históricos e nível de vida.

Esta ofensiva patronal tem como objetivo principal fazer com que sejam a classe operária e os setores populares que paguem pelas consequências de uma das piores crises da história do capitalismo mundial.

Ler mais...

Sobre a morte de Margaret Thatcher

Sobre a morte de Margaret Thatcher

Segunda-feira dia 8 de Abril morria no hotel de 5 estrelas do centro de Londres onde residia, a mulher que foi primeira-ministra do Reino Unido durante 11 anos de 1979 a 1990.  Foram muitas as reacções de pesar e os elogios de circunstância, desde David Cameron, Angela Merkel, Pedro Passos Coelho (que a considera “uma inspiração”), passando, pasme-se ou não, pelo  PC chinês que no seu jornal oficial não lhe poupou qualidades.

Ler mais...

Chipre, a verdadeira face do euro

Chipre, a verdadeira face do euro

O Chipre, uma pequena ilha com menos de um milhão de habitantes está há pouco mais de uma semana na boca da Europa e do mundo. Não são as praias de temperaturas amenas e água límpida deste país que captaram a atenção global, mas as medidas de guerra económica que a Troika lançou sobre o país.

Ler mais...

Bolívia: nasce o Partido dos Trabalhadores

Bolívia: nasce o Partido dos Trabalhadores

Convocado pela histórica Central Operária Boliviana (COB), em 7 e 8 de março de 2013 realizou-se o “Primeiro Congresso Nacional Político Sindical dos Trabalhadores da Bolívia”. O mesmo deu nascimento a um novo partido operário, o Partido dos Trabalhadores (PT), concebido como um Instrumento Político próprio dos trabalhadores.

Ler mais...

Frente à morte de Hugo Chávez

Frente à morte de Hugo Chávez

Hugo Chávez morreu e o impacto político é mundial. Não é para menos, pois sem dúvida o ex-presidente venezuelano surgiu como um importante protagonista das últimas duas décadas da história política dentro e fora da América Latina.

Ler mais...

A renúncia do Papa tem um significado político

A renúncia do Papa tem um significado político

A renúncia do Papa é apresentada como uma decisão pessoal, devido à idade. Evidentemente, é preciso buscar as razões de fundo para um gesto inédito nos anais recentes da Igreja e que enfraquece ainda mais a sua credibilidade.

Os pontificados ficam historicamente identificados com alguns dos factos ou decisões mais importantes que marcaram esses períodos. O Papa Pio XII, contemporâneo do nazismo e aliado de Hitler na sua ascensão ao poder, ficou indelevelmente marcado por essa aliança. Mais no passado, o que resta na memória popular de Papas como Rodrigo Borgia, ou Alexandre VI, senão a reputação de cruel e devasso, que nomeou o próprio filho Cesare Borgia, além de muitos outros parentes, como cardeais? De Júlio III, a nomeação como cardeal-sobrinho do amante de 17 anos, Innocenzo.

Ler mais...

Revolução no Egito desafia aliança entre generais e Irmandade Muçulmana

Revolução no Egito desafia aliança entre generais e Irmandade Muçulmana

O segundo aniversário do início da revolução encontrou novamente dezenas de milhares de manifestantes nas ruas das principais cidades do Egito. Em Suez, Alexandria, Mahalla, Port Said e, principalmente, na emblemática Praça Tahrir, os trabalhadores e o povo egípcio protagonizam concentrações, marchas e duros confrontos com a polícia e o exército.

Exigem do atual governo da Irmandade Muçulmana, presidido por Mohamed Morsi, que cumpra as reivindicações democráticas e económicas ainda não atendidas desde que, depois de 17 dias de intensa luta e ao custo de 850 mártires, derrubaram o ditador Mubarak, em fevereiro de 2011.

Ler mais...

Fora o governo dos cortes e da corrupção de Mariano Rajoy

 Fora o governo dos cortes e da corrupção de Mariano Rajoy

Afinal, como sempre dissemos nas manifestações, “não falta dinheiro, mas sobram ladrões”, são os banqueiros e os corruptos que vivem “acima das nossas possibilidades”. O escândalo é sem precedentes. Luis Bárcenas, ex-tesoureiro do PP (e até pouco tempo com escritório próprio na sede central do partido), tinha 22 milhões na Suíça. O seu advogado informou que branqueou 10 milhões na recente amnistia fiscal do governo e que, durante anos, pagou bónus no mercado negro, entre 3000 a 10000 euros mensais, aos máximos dirigentes do PP [o que foi tornado público na sexta dia 1 de fevereiro, com a divulgação pelo jornal El País, dos papéis de Bárcenas, com os nomes de todos os políticos do PP, entre os quais o primeiro-ministro, Mariano Rajoy, e os respetivos valores que receberam durante anos desse saco azul].

Ler mais...

No Brasil, vitória dos moradores do Pinheirinho

No Brasil, vitória dos moradores do Pinheirinho

No dia 22 de janeiro, realizou-se o ato que assinalou um ano da desocupação do Pinheirinho, bairro de São José dos Campos (São Paulo), Brasil, que abrigava em torno de 1.700 famílias. Além de recordar e protestar contra as injustiças ocorridas, os moradores também comemoraram a conquista de suas primeiras moradias.

Ler mais...

mupi_travar_austeridade_x300.jpgmupi_prisao_e_confisco_x300.jpg

mupi_fim_privilegios_web150mupi_euro_afunda_web_150mupi_prisao_web150mupi_fim_privilegios_web150
Text size
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Contacta-nos

Email: mas@mas.org.pt

MAS nas redes sociais:

facebook_iconyoutube_icon

Boletim electrónico do MAS

Subscreve o boletim electrónico do MAS e com conta, peso e medida receberás informação das novidades da nossa página.