MAS

Início Nacional Mulher

Mulher

Bancárias em luta contra a opressão do Santander

Bancárias em luta contra a opressão do Santander

No Banco Santander Totta, em particular, existe um projecto chamado "projecto Libra” que tem como finalidade trazer respostas às dificuldades de conciliação e equilíbrio entre a vida profissional e vida pessoal das pessoas, tendo um foco particular na mulher; além do que o Banco detém a “certificação de empresa familiarmente responsável”, mas as bancárias além de discriminação sofrem fortes e tremendas pressões.

Ler mais...
 

8 de Março: ontem e hoje

8 de Março: ontem e hoje

Dia Internacional da Mulher é o dia que celebra a luta das mulheres por melhores condições de vida, por direitos, pela sua liberdade.

É o dia que representa essa luta hoje, mas também as lutas das mulheres que ao longo da História derrubaram barreiras para alcançarem uma vida melhor, sem opressão nem exploração.

Ler mais...

Ataques ao direito ao aborto em Espanha e Portugal

Ataques ao direito ao aborto em Espanha e Portugal

O governo de Mariano Rajoy, de direita, quer uma nova lei que só permita o aborto em caso de violação da mulher e de anomalia fetal incompatível com a vida. Em Portugal, Passos e Portas querem acabar com o aborto gratuito.

Ler mais...

BASTA de violência sobre as mulheres

BASTA de violência sobre as mulheres

25 de novembro é o dia internacional pela eliminação da violência contra a mulher, seja ela física, psicológica ou social. 70% das mulheres já sofreu algum tipo de violência.

Um terço já sofreu violência ou abuso sexual. Em Portugal, dos crimes direccionados para a APAV (associação de apoio à vítima) em 2012, 84% são de violência doméstica, dos quais 36% maus tratos psíquicos e 27% físicos. Face a 2011, os crimes sexuais e de injúrias praticamente duplicaram. São números escandalosos e o agravar da crise piora a situação.

Ler mais...

8 de Março: que igualdade de género?

Neste dia simbólico para a luta das mulheres pelos seus direitos e pela construção de uma sociedade mais justa, temos algumas reflexões a fazer.

A Europa vive uma crise financeira e económica que a burguesia quer resolver através de medidas de austeridade que retiram direitos aos trabalhadores, em particular às mulheres, e enfraquecem as políticas de igualdade de género.

Ler mais...

O simbolismo do 8 de Março

Em 1907, Clara Zetkin, destacada integrante da II Internacional Socialista, defende a questão das sufragistas no Congresso Socialista Internacional de Stuttgart e faz aprovar a proposta de discussão acerca dos direitos eleitorais das mulheres.
Ler mais...

Ser mãe, um direito que patrões e governo não reconhecem

Para a edição em que se comemora o Dia da Mulher Trabalhadora, o 8 de Março, o jornal Ruptura entrevistou Neuza, de 28 anos, operadora de call-center, com contrato temporário renovável semanalmente até um prazo máximo de dois anos, e mãe de duas filhas, uma de 7 anos e outra de 6 meses.

Ler mais...

Porque é que a ministra do CDS pode e Liliana Melo não?

A ministra da Agricultura, Assunção Cristas, está grávida do seu quarto filho e garantiu que pretende trabalhar a tempo inteiro até ao final da gestação.
Ler mais...

Novos nascimentos ameaçados

Novos nascimentos ameaçados

Mais um desinvestimento público que recai sobre um dos grupos mais frágeis da população: as crianças ainda antes de nascerem já estão a ser ameaçadas no seu futuro bem-estar. A introdução das novas regras das prestações sociais preveem cortes nas prestações do subsídio de maternidade, que podem ir dos 14% aos 25%, segundos dados da CGTP, a partir de 1 de julho.

Ler mais...

25 de Novembro: Basta de violência contra a mulher! Basta de austeridade!

25 de Novembro: Basta de violência contra a mulher! Basta de austeridade!

O ano ainda não terminou e já 35 mulheres foram mortas em Portugal pelos seus companheiros, mais oito do que no ano passado. “O período de austeridade que vivemos, a crise que vivemos, é propício ao aumento desta forma de criminalidade e é preciso que isso seja previsto para poder ser provido, porque casa onde não há pão, mais cedo ou mais tarde há condições para haver violência”, analisou o bastonário da Ordem dos Advogados, Marinho e Pinto.

Ler mais...
Página 2 de 2
Text size
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Contacta-nos

Email: mas@mas.org.pt

MAS nas redes sociais:

facebook_iconyoutube_icon

Boletim electrónico do MAS

Subscreve o boletim electrónico do MAS e com conta, peso e medida receberás informação das novidades da nossa página.