MAS

Início Nacional Saúde Enfermeiros da Linha Saúde 24 em luta contra as baixas dos salários e os despedimentos

Enfermeiros da Linha Saúde 24 em luta contra as baixas dos salários e os despedimentos

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Os enfermeiros da linha Saúde 24 estão em luta e vão realizar uma marcha de protesto esta segunda-feira, pelas 10h30, com início frente à Autoridade para as Condições no Trabalho rumo ao Ministério da Saúde.

Esta ação de protesto segue-se à greve que, no dia 4 de janeiro, registou forte adesão e paralisou os centros de atendimento de Lisboa e Porto. Os enfermeiros mostram desta forma a sua indignação pela redução do salário imposta unilateralmente aos comunicadores pela empresa que gere a linha.

Os profissionais de saúde têm sido contactados para que aceitem a baixa salarial no valor/hora de oito euros e setenta e cinco cêntimos para sete euros, além de cortes no valor pago pelas horas noturnas e pelo trabalho realizado aos fins-de-semana.

Os representantes dos operadores da linha calculam as perdas nos vencimentos entre os 30 e os 50 por cento. A Linha de Cuidados de Saúde S.A., empresa que gere a linha Saúde 24, atira as culpas desta tomada de decisão para a necessidade de responder às exigências do Ministério da Saúde quanto à redução da despesa. Aos que não aceitem estas imposições, são enviadas cartas registadas comunicando a não renovação de contrato.

Todavia, 300 dos 400 funcionários recusaram ceder perante o ultimato da administração, numa demonstração de força que muitos julgariam inimaginável tendo em conta a falta de proteção com que exercem a sua atividade.

Falsos recibos verdes

Estes trabalhadores, agora vítimas de chantagem, têm exercido a sua atividade ao abrigo de contratos de prestação de serviço, a forma de enquadrar o pagamento de um salário contra a emissão de um recibo verde pelos enfermeiros. Sucede, porém, que muitos comunicadores trabalham a recibos verdes há largos anos, no mesmo local, com horários fixos e submetidos a uma cadeia hierárquica, o que configura uma violação da lei.

Face às arbitrariedades cometidas pela Linha de Cuidados de Saúde S.A. com a cumplicidade do Ministério da Saúde, os enfermeiros pretendem acabar com os falsos recibos verdes e exigem o reconhecimento do vínculo que os une à empresa através de um contrato de trabalho.

Em nome da sua dignidade, estes trabalhadores de um call-center ligado ao setor da saúde ousaram desafiar as leis da precariedade. Para já, conseguiram quebrar o imobilismo da Autoridade para as Condições no Trabalho, que finalmente decidiu fiscalizar os centros de atendimento de Lisboa e Porto, depois de várias queixas apresentadas em vão junto deste organismo do Estado.

Contra as reduções nos salários, pela readmissão dos enfermeiros despedidos e pela celebração de contratos de trabalho. Toda a solidariedade aos enfermeiros da Linha Saúde 24!

José Pereira

 
Text size
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Contacta-nos

Email: mas@mas.org.pt

MAS nas redes sociais:

facebook_iconyoutube_icon

Boletim electrónico do MAS

Subscreve o boletim electrónico do MAS e com conta, peso e medida receberás informação das novidades da nossa página.