MAS

Início Nacional Opressões MC Snake, mais uma vítima do racismo contra os jovens negros dos “bairros”

MC Snake, mais uma vítima do racismo contra os jovens negros dos “bairros”

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
arton322“O Snake era negro, rapper, de Chelas. Cria-se um estereótipo. Se fosse branco e usasse gravata, teriam disparado?” Com esta pergunta-resposta, o rapper Sam The Kid, amigo e parceiro de Snake, resumiu à imprensa o que aconteceu com o jovem músico morto com um tiro nas costas pela PSP no dia 16 de Março, em Lisboa.

Chamava-se Nuno Rodrigues (de boné vermelho na foto), tinha 30 anos, vivia com a mãe, irmãos e uma filha de 2 anos em Chelas, bairro pobre da periferia de Lisboa. Vivia para a música e para a filha. Mas era “negro, rapper, de Chelas” – “crime” imperdoável para a polícia.

Familiares e amigos, como o DJ Bomberjack, recordam-no como um homem “honesto, humilde, simpático, sempre bem disposto e disponível para falar”. “Ele era muito pacífico”, disse Sam The Kid, também morador de Chelas. “O meu irmão era conciliador e quando havia uma luta entre bairros era o primeiro a interceder para evitar os conflitos. Era conhecido por padre”, disse Jorge Rodrigues.

Na versão da PSP, Snake teria desobedecido uma operação stop em Alcântara e, posteriormente, sido perseguido até Benfica, quando um polícia disparou sobre o jovem. Snake não estava armado. O seu irmão questiona a versão policial: “E a Polícia fala em perseguição? Mas como? O Nuno ia a conduzir o carro da mãe, um Lancia Y10, com 12 anos e com problemas mecânicos. Não me diga que com um carro destes a Polícia precisava de disparar para o fazer parar. Não o poderia apenas abalroar, era preciso matá-lo?”.

O inquérito está agora na Polícia Judiciária de Lisboa. Segundo a imprensa, o autor do disparo não foi detido, nem notificado para ser ouvido pelo Ministério Público, mantendo-se ao serviço até à conclusão do inquérito criminal e disciplinar. O escritório do advogado Garcia Pereira é que vai representar a família de Snake.

Em Chelas, prepara-se um concerto em sua homenagem, com a participação de Sam The Kid. No funeral, os amigos vão vestir uma t-shirt branca com a frase: “Será que sou eu o culpado?”, escrita na parte de trás. Para a manhã do dia 21 (domingo) está a ser organizada uma concentração de protesto em frente à Divisão de Benfica da PSP, quando haverá um minuto de silêncio em memória do jovem morto. À imprensa, o irmão de Snake disse: “Apelamos a quem for levar uma t-shirt branca e uma rosa branca. É um sinal de paz”.

MC Snake! PRESENTE!

 
Text size
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Contacta-nos

Email: mas@mas.org.pt

MAS nas redes sociais:

facebook_iconyoutube_icon

Boletim electrónico do MAS

Subscreve o boletim electrónico do MAS e com conta, peso e medida receberás informação das novidades da nossa página.